Alibaba é confiável? Conheça a empresa dona do site AliExpress

E-commerce chinês tem mais de 1 bilhão de usuários ativos em suas plataformas e presença em 190 países

O Alibaba Group é um grupo de empresas privadas considerado o sétimo maior do mundo. Fundado em 4 de abril de 1999 e com sede na China, a companhia atualmente está avaliada em US$ 131,2 bilhões (o equivalente a R$ 591,5 bilhões, em conversão direta). A gigante asiática é uma das responsáveis pela revolução do mercado digital global e domina 60% do mercado chinês de e-commerce.

O grupo controla diversas empresas que vendem produtos variados na Internet, desde os mais baratos até itens de luxo, como o AliExpress, Alibaba, Taobao e Tmall. No total, o Alibaba possui mais de 1 bilhão de usuários ativos em todo o mundo, incluindo no Brasil, e envia por dia mais de 12 milhões de pacotes, número quatro vezes maior que o envio diário da Amazon. A seguir, conheça mais detalhes do grupo de e-commerce chinês.

Sétima maior empresa do Mundo, Alibaba Group possui empresas que gerenciam e controlam todos os seus processos — Foto: Reprodução/Alibaba Group

Sétima maior empresa do Mundo, Alibaba Group possui empresas que gerenciam e controlam todos os seus processos — Foto: Reprodução/Alibaba Group

O que é o Alibaba?

O Alibaba Group foi criado em 4 de abril de 1999 por Jack Ma, um chinês humilde que insere filosofia budista e tai chi chuan no cotidiano de seus empregados. A empresa assumiu a missão de transformar o comércio eletrônico e torná-lo mais eficiente para comerciantes. Para isso, oferece serviços de infraestrutura tecnológica e procura ampliar o alcance de marketing dos vendedores, de forma que eles consigam ter um maior aproveitamento das novas tecnologias.

B2B e B2C: a gigante asiática e seus empreendimentos

Na tentativa de resolver o problema de comunicação entre o mercado chinês e outros países, o Alibaba criou estruturas de divulgação para a realização de vendas de negócios para negócios, conhecido como Business to Business (B2B).

Com a reação positiva de mercados externos e o fortalecimento da presença chinesa em diversos setores, a empresa passou a operar também no modelo de venda de negócios para consumidores finais, conhecido como B2C (Business to Consumer). Atualmente, o grupo opera também no modelo Consumer to Consumer (C2C), em que pessoas físicas vendem seus produtos para outras pessoas.

Aqui no Brasil, o caminho foi o inverso. Após o início das operações B2C e o crescimento exponencial do consumo por parte dos brasileiros, o grupo estreou o Alibaba.com que é o principal e-commerce B2B da empresa no país.

Um dos diferenciais do site é que ele não cobra taxas de lojistas. Com o crescimento do grupo Alibaba e a criação de diversas empresas que, até então, não existiam de maneira consolidada na China, as fontes de receita passaram a vir da publicidade feita pelo grupo. Outras formas de ganhar dinheiro vêm da utilização precisa dos dados coletados nas plataformas para formulação de anúncios, da empresa de logística e de outras companhias do grupo, como a de pagamentos.

Esse cenário gera diversas fontes de renda sobre um mesmo produto e um grande controle do anúncio até a venda. Para isso, o Alibaba oferece grande suporte para seus fornecedores, que vai desde o auxílio com os contratos até financiamentos para empresas.

Empresas do grupo Alibaba

O Alibaba Group é formado por diversas empresas. A seguir, conheça cada uma delas e entenda as diferentes áreas de atuação da companhia chinesa.

  1. Alibaba

    Empreendimento de estreia do grupo Alibaba, esse é o maior marketplace online atacadista da China em receita, de acordo com dados do último ano. Nele, é possível comprar carros, motos elétricas, caminhões, ônibus, roupas, entre outros itens, a preços que variam conforme a quantidade. Além de ser um ótimo fornecedor, o Alibaba presta serviços aduaneiros, financiamento comercial e logístico.

  2. AliExpress

    Lançado em 2010, o AliExpress é uma plataforma de marketplace que conecta distribuidores chineses a consumidores em todo o mundo. O site é famoso pela variedade de produtos a preços baixos. O Brasil está entre os cinco países que mais compram no AliExpress, junto com Rússia, Estados Unidos, Espanha e França.

  3. Taobao

    Esta é uma plataforma onde pequenos comerciantes e pessoas físicas podem anunciar produtos, mas com o diferencial de avaliar as mercadorias e iniciar conversas com vendedores ou outros usuários. Ele está disponível apenas na China, onde é muito expressivo, se comparando ao Mercado Livre no Brasil.

  4. Tmall

    Disponível apenas em chinês, esse é um mercado varejista de luxo onde marcas internacionais marcam presença. A demanda por produtos de qualidade e a alta oferta fez com que o Tmall fosse eleita “a maior plataforma online e móvel de terceiros para marcas e varejistas do mundo”, em 2019.

  5. Ant Financial

    Essa é a plataforma de pagamento digital do Alibaba. Ainda em fase de consolidação, o site oferece serviços financeiros digitais para consumidores, pequenas, médias e microempresas na China e em outros países.

  6. Alibaba Cloud

    É um dos principais serviços de nuvem da Ásia-Pacífico e oferta um conjunto completo de recursos, como gerenciamento de aplicações, big data analytics, plataforma de aprendizagem de máquina, segurança e outras ferramentas que atendem à dinâmica de economia e mercado digital.

  7. Alimama

    Como todo o processo é dominado por empresas do grupo, a publicidade e as plataformas para este fim não seriam diferentes. O Alimama é a ferramenta de monetização e gerenciamento de marketing digital do grupo. A partir dela, é possível anunciar dentro e fora das plataformas, o que coloca o Alibaba como um grupo autônomo e capaz de suprir todas as suas demandas produtivas.

O Alibaba é seguro?

O Alibaba, o AliExpress e outras empresas chinesas de e-commerce são famosas pelos preços baixos, mas também pela demora na entrega dos produtos. Isso é comum, porque as encomendas vêm de muito longe. Além disso, de acordo com relatos no site Reclame Aqui, outro problema comum são produtos eletrônicos que chegam sem bateria ou com defeito.

Para casos de atraso, é possível rastrear o pedido e solicitar mediação para a solução do conflito direto nas plataformas do Alibaba. Já em situações de produtos com defeito, é preciso verificar o caso e solicitar o reparo, troca ou reembolso.

Com exceção dessas questões, os fornecedores chineses não costumam apresentar grandes problemas. Os produtos são entregues ao comprador e a política de valorização e boa relação costuma ser seguida à risca. Essas características tornam os serviços ofertados pelo Alibaba Group mais confiáveis, bem como as empresas que o grupo controla.

Outro ponto positivo é que toda a burocracia aduaneira e questões fiscais são resolvidas pela própria companhia. Então, o único trabalho do comprador é selecionar o produto e realizar o pagamento. Para consumidores finais isso não faz tanta diferença, mas para quem compra no modelo de B2B as facilitações do Alibaba são muito importantes na negociação.

Por Thiago Siqueira, para o TechTudo

Facebook Comentários