Você Sabe Por Que 2020 Será Melhor Que 2019 Para O Comércio Exterior?

Mais um ano está terminando e como de costume, planejar o ano seguinte é a rotina de qualquer empresa. Mas quando se fala de comércio exterior, muitas variáveis acabam impactando essa projeção. E é exatamente sobre isso que vamos falar no post de hoje!

Guerra comercial entre EUA x China, dólar disparando, crescimento tímido da nossa economia, desemprego. Argentina, nosso terceiro maior parceiro comercial, com um novo governo que não agrada aos mercados.

Parece difícil, quando olhamos de forma superficial, acreditar que 2020 vai ser um ano melhor que 2019. Mas a verdade também é que nas últimas quatro décadas tivemos pouquíssimos anos de crescimento sustentado. Talvez o empresário brasileiro seja um dos mais preparados para crescer mesmo em momentos de crise. Foram décadas de inflação, planos econômicos, desvalorização e valorização de moeda. Já vivemos com o dólar na casa dos R$ 0,80 e agora vivemos com o dólar a quase R$ 4,50. Nunca tivemos uma estrutura tributária favorável.

A questão que fica é: como crescer no meio da instabilidade? A resposta pode parecer a de um vídeo de coach no Youtube, mas a saída é sempre inovar, estar atento aos custos e buscar caminhos alternativos e tendências. Vivemos uma Era tão complexa, que a zona de conforto é o pior lugar para se estar!

ECONOMIA 2020

Mas antes de falarmos propriamente de como crescer no meio da instabilidade, é importante analisarmos o cenário que nos espera em 2020. E já adianto que existe de fato muitos indicativos positivos que merecem destaque.

Segundo o Banco Central o PIB de 2019 deve ficar no patamar de 0,92%, já o mercado, tem uma visão mais otimista, acredita em um crescimento de 1,10%. Para 2020, segundo o boletim Focus divulgado no dia 09/12/2019, o mercado projeta uma expansão de 2,24% do PIB.

Além das notícias com relação ao PIB, ainda temos um cenário de queda da Taxa Selic. Na última reunião do Copom, realizada em 11/12/2019, a taxa foi reduzida de 5% para 4,5%. O mercado ainda projeta que em 2020, a Selic chegue aos 4%. Esse é o menor patamar desde 2009 e o impacto dessa queda é a expansão do crédito para empresas, o que fomenta o investimento e para as pessoas físicas, o que incentiva o consumo.

O efeito colateral da Selic poderia ser o aumento da inflação, mas mesmo com o forte aumento no preço da carne e da energia elétrica, a inflação continua controlada em 3,27% segundo o IBGE e abaixo da meta de inflação do Banco Central para 2019.

 

MERCADO EXTERNO

Já no mercado externo, a guerra comercial entre EUA e China, segundo comentários de Donald Trump e Xi Jinping, mostra sinais de caminhar para um acordo próximo. A melhora no cenário de disputa entre as duas nações deve dar mais segurança para investimentos e incentivar o crescimento global.

Uma outra notícia que mostra otimismo do mercado externo com o Brasil, foi a melhora da perspectiva de mudança da nota de crédito brasileira. A agência de classificação de risco Standard & Poor’s, revisou a nossa expectativa de estável para positiva. A agência justificou a mudança positiva diante da aprovação da Reforma da Previdência e da expectativa do avanço de outras medidas fiscais e de um crescimento mais acelerado da economia.

 

E O QUE FAZER?

Diante dessas notícias positivas e ainda levando em consideração a disposição reformista do Congresso, é possível acreditar que reformas como a administrativa e tributária encontrem espaço para serem aprovadas ainda em 2020, o que, claramente, dará mais fôlego para a economia.

Mas tudo isso são projeções, são fatores externos as nossas empresas. Talvez alguns desses cenários não se concretizem e as estratégias de negócios precisam trabalhar com um amplo espectro de cenários para conseguir êxito. E essa conclusão nos traz novamente a pergunta feita no início desse texto: como crescer no meio da instabilidade?

Os mercados estão passando por transformações frequentes, a tecnologia tem mudado completamente as formas de empreender. E no comércio exterior essas transformações são ainda mais rápidas e a necessidade por inovação e entender as novas tendências se mostram mais urgentes.

Com a alta do dólar, que deve continuar em patamar superior a quatro reais em 2020, temos dois cenários. Para exportadores o momento é bom, uma vez que com a desvalorização do real os produtos brasileiros acabam, em certa medida, tornando-se mais competitivos no mercado externo. Já para importadores, o cenário fica mais complexo, o custo de trazer produtos de fora ficam elevados e o mercado interno restringe o consumo devido a alta de preços.

Um ponto em comum na análise do impacto do câmbio em empresas importadoras e exportadoras são a elevação de custos com frete, combustíveis e demais insumos que são custeados com a moeda americana.

 

OEA

A solução passa, impreterivelmente, por gestão de gastos. Investimento em tecnologia para automação de processos internos, adesão a processos mais ágeis de liberação alfandegária como o OEA (saiba mais clicando aqui), por exemplo.

Passa também pela busca por diversificação de produtos oferecidos, é sempre importante o player de comércio exterior não se prender a sazonalidade do mercado que atua. Uma vez que esse tipo de situação fragiliza as receitas da empresa, principalmente em momentos de turbulência econômica.

Outro caminho é o aumento de investimento na prospecção de novos clientes, seja por meios tradicionais ou por meios digitais. As facilidades de importação e exportação fazem com que o mercado se torne mais acirrado, então, prospectar novos clientes, buscar novas tendência em marketing e na relação com o seu comprador, mitigam efeitos causados por práticas como o drop shipping ou então, pela concorrência de grandes marketplaces internacionais como Amazon e Aliexpress que consegue vender diretamente para o consumidor final aqui no brasil.

E para finalizar, diante de tantas mudanças e cenários complexos que impactam diretamente no faturamento e nas projeções futuras, cabe ao player de comércio exterior se reinventar diariamente. O importante é entender as tendências do mercado, não ter medo de sair da zona de conforto e buscar novas oportunidades e mercados sempre!

 

Fonte:

https://www.gett.com.br/voce-sabe-por-que-2020-sera-melhor-que-2019-para-o-comercio-exterior/

Facebook Comentários